domingo, 30 de julho de 2017

COM ERRO DE BANDEIRINHA, FLAMENGO ARRANCA EMPATE

Pós-jogo


Muito legal ver Danilo no banco. Ele tem uma história de conquistas dentro do time. A atitude de Carille mostra que futebol não acontece apenas no campo, mas é o resultado de uma equipe dentro e fora de campo. Nos primeiros dez minutos de jogo o modo Corinthians de jogar esteve ligado. O time do Flamengo com posse de bola tomava iniciativa. Quem diria: nos roubaram com invenção de um impedimento. O erro do assistente despertou a velocidade no Corinthians, atacando pelos flancos chegou ao gol após sufocar o adversário por dez minutos. Na velocidade proporcional a idade da zaga do Flamengo Jô atingiu o gol. O grande problema do Flamengo ao longo do primeiro tempo foi a maneira irresponsável como o time se livra da bola, de qualquer jeito. E assim foi o primeiro tempo. Um gol legítimo anulado e nenhum perigo criado pelo Flamengo.


O segundo tempo começou com o Corinthians pressionando pelo lado direito. Uma avenida se desenhanva por aquele lado. Tanto que Zé Ricardo foi a loucura de tanto orientar. E o Timão fez duas substituições a partir de tuas faltas mais violentas. O adversário apela para a força para dar conta da marcação. Estraga a beleza do jogo. Entretanto Rever encontrou beleza para empatar. Agora não entendo a implicância da torcida rubro-negra com seu treinador. As alterações dele fora mais efetiva em campo. Embora não houve variações de jogada, o Flamengo resumiu-se a cruzar bolas pela área, criatividade zero até a entrada do inspirado Vinicius Jr. que durou exatos dois piques. O que fez o time melhorar no segundo tempo foi a qualidade assertiva na troca de passes.