sexta-feira, 28 de abril de 2017

EDUARDO BAPTISTA É O TÉCNICO, PÍLULAS DO DIA SEGUINTE


O técnico do Palmeiras não errou no jogo de ontem contra os uruguaios. Ele começou com três zagueiros e o fez bem. Não deu certo, mas isto é outro capítulo. O fez bem porque deve ter acompanhado os últimos jogos da equipe. No clássico pelo campeonato uruguaio, frente ao Nacional, em esquema com três zagueiros dá maior mobilidade aos laterais para abafar o time do Peñarol. No plano tático tudo bem, mas prática deu errado. O primeiro tempo foi ruim demais. Só não foi desastroso porque os uruguaios se mostram incompetentes para conseguir marcar. Na volta do intervalo, Eduardo Baptista se mostrou capaz de dirigir grandes e mudar o jogo. Mexeu nas peças e acertou diante do erro primário cometido. Aqui está o brilhantismo do profissional do banco. Entender o que se passa. Discordo de Sormani da Fox Sports, Batista enxerga e bem o jogo. Comete equívocos, mas o acerto é maior que o somatório de erros. Além da mexida, ele foi capaz de conter o ânimo do explosivo Palmeiras frente a loucura que foi o Centenário. Em tempo de profissionalismo, o time do Peñarol deveria ser severa e exemplarmente punido diante da selvageria que promoveu.