terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

QUANDO UM CORPO CELESTE É CONSIDERADO UM PLANETA?



Um estudante questionou, outro dia, o que faz um corpo celeste tornar-se planeta. Na ocasião exemplificava, e citei Plutão, e prontamente lembrou-me que este não é mais considerado planeta. A desconsideração de Plutão, já tem mais de dez anos.

Tomei por pesquisa o Departamento de Astronomia, da USP.  E a partir de lá encontrei a resolução da Assembleia Geral da União Astronômica Internacional de 2006 que diz:

Resolution 5A 
The IAU therefore resolves that planets and other bodies in our Solar System be defined into three distinct categories in the following way: 
  
(1) A planet is a celestial body that (a) is in orbit around the Sun, (b) has sufficient mass for its self-gravity to overcome rigid body forces so that it assumes a hydrostatic equilibrium (nearly round) shape, and (c) has cleared the neighborhood around its orbit.
(2) A "dwarf planet" is a celestial body that (a) is in orbit around the Sun, (b) has sufficient mass for its self-gravity to overcome rigid body forces so that it assumes a hydrostatic equilibrium (nearly round) shape, and (c) has not cleared the neighborhood around its orbit and (d) is not a satellite. 
(3) All other objects orbiting the Sun, excluded satellites, shall be referred to collectively as “Small Solar System Bodies”. 

A definição afirma que planetas são corpos que se formaram num período de relativa abundância local de matéria. Não são planetas aqueles objetos que, acretados dentro de uma nebulosa solar primitiva, não encontram a abundância de matéria, como também, permanecem em uma órbita estável ao redor do Sol. Como também é um objeto de dimensão predominante entre os objetos que se encontram em órbitas vizinhas.