domingo, 29 de janeiro de 2017

JOGO POUCO PRODUTIVO COM EMOÇÃO NO FINAL



Estava animado para acompanhar no estádio o primeiro jogo do Metropolitano pelo catarinense, porém, um temporal de verão me fez mudar os planos. Chuva em demasia, troquei o estádio pela pipoca e televisão. Diante do cardápio dos estaduais, optei pelo clássico pernambucano, via Globo Nordeste.

Surpreendeu-me negativamente o estádio vazio. Faz vários jogos que percebo a Arena Pernambuco sempre vazia. Já li, em diversos veículos, que a dificuldade de acesso a região é um grande entreve ao público, como também questões de segurança. Globoesporte, publicou no final do ano passado, que a soma do público no Náutico pela Série B não era capaz de lotar o espaço. Então, por que insistir na fórmula?

Outro dia, um bom amigo me falava da preocupação de ver a Chapecoense no rebaixamento este ano. Resguardando o trauma e a tristeza, e os votos que isto jamais se repetirá, com nenhum outro clube na Terra, o desmonte e monte de time é uma realidade do futebol nacional. A preocupação dele era um time montado para a temporada. Isto não é um problema da Chape, mas por exmeplo, dos vinte e dois que estavam em campo no início da partida de hoje, somente quatro estiveram no elenco do ano passado. Não há continuidade no futebol, senão, em alguns grandes do eixo RJ-SP-MG-RS, então, montar time para competições é uma realidade de tempos.

Diante de tantas novidades em campo, o jogo foi pouco criativo. O Náutico dominou as ações do jogo, fazendo pressão, mas sem eficiência. O time do Santa Cruz, inoperante, jogava atrás da linha do meio-campo. Um jogo sem criatividade, com um juiz que apitava demais e ao mesmo tempo deixava tudo muito tenso. Toda bola era disputada com reclamações e trocas de ofensas entre os jogadores. O jogo encaminhava para um zero a zero e eu já pensando na maldita justiça do placar, quando o Capibaribe abriu o placar e na sequência, o Santinha, aproveitou uma das poucas chances de que teve. Não existe justiça em placar. O Náutico produziu muito mais, mas não foi efetivo em transformar volume de jogo em gol.

Gosto desta forma de estadual. Uma fase com pequenos, uma grande fase com jogos interessantes, e depois a fase final. Para um campeonato que pouco ou quase nada representa, que são os estaduais, valorizar confronte entre as estrelas é uma saída.


A primeira rodada do hexagonal: Sport Recife 3x0 Central | Bom Jardim 0x2 Salgueiro.