quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

NOVAMENTE TECNOLOGIA GERA POLÊMICA


Tal como havia ocorrido no encontro de semifinal entre Kashima Antlers contra o Nacional de Medellin, os juízes fizeram uso da nova ferramenta, novamente, de uma maneira pouco clara no jogo da manhã de hoje.  Na jogada do gol de Cristiano Ronaldo, o português parte da mesma linha que o defensor argentino Paolo Goltz, que não alcança na corrida e o perdeu na jogada. O craque do Real Madri define cruzado e sai a gritar por 2-0. 

O juiz da partida, o paraguaio Enrique Cárceres, convalido o gol, porém na sequência parou o jogo para reavaliar a jogada, e se cercou com um de seus assistentes, que pareciam indicar a posição adiantada do atacante. Por um instante, o gol foi anulado, e o juiz havia levantado sua mão indicado o tiro livre indireto para o América. 

Logo depois de ver a cena por vídeo, volto a corrigir-se: agora com a bola na mão e, diante da surpresa dos jogadores da equipe mexicana, caminhou ao círculo centra para convalidar o segundo gol do time madrileno. Na quarta, a semifinal entre Kashima Antlers contra Nacional, os juízes demoraram em chegar a um consenso para cobrar uma falta dentro da área que derivou em gol de pênalti da equipe japonesa. 

Novamente a polêmica. O procedimento é bom, mas o uso ainda não é o adequado, está afobado. Faltou sensibilidade aos envolvidos e um pouco de expertise para chegar ao uso adequado.