segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

COMO SERÁ 2017 NA MÍDIA ESPORTIVA? PARTE I, OBSCURO



Gostaria de olhar para 2017 com esperança. Mas o lamaçal político que jorra de Brasília me impede de ter qualquer esperança, qualquer desejo de dias melhores. A massa iludida por situações problemáticas fizeram coro a nomes que hoje deturpam nossas instituições. Hoje, clamo por justiça, a independer de lados, de nomes, de partidos. Espero que o nascimento de um ano nasça uma perspectiva, a fim de fugirmos da idiocracia que nossa república se encontra. Enquanto o caos político é vivenciado, a mídia esportiva pode ser uma boa linha de fuga. Mas 2017 reserva algumas surpresas. Nas próximas colunas quero tratar delas. Para hoje, opto pela WTA no Sony; a possibilidade de uma F1 sem piloto brasileiro e pela terceira temporada da Champions no EI Maxx. 

Escrevo nas segundas-feiras para o espaço Esporte e Mídia.