quarta-feira, 3 de agosto de 2016

QUE COMECEM OS JOGOS


Vi fragmentos de Alemanha x Zimbábue e deixei a televisão ligada na vitória dos Estados Unidos frente a Nova Zelândia. Em ambos estádios vazios. Para um evento em nível global poucas pessoas. Com a situação me questiono o quão ufanista são os torcedores. Se a mídia esportiva sobressalta o futebol com brasileiros em campo, os torcedores o fazem o mesmo, um intermezzo das partes. Vejo com a perspectivas que não gostamos de futebol, apenas do nosso time e da seleção quando ela joga bem (nunca a vi fazer isto). Se minha proposição fosse falsa, os estádios, no primeiro dia olímpico, estariam lotados. Tão vazio quando as arquibancadas são as projeções dos comentaristas na primeira rodada apontando o lugar de cada qual no grupo. Se o futebol fosse uma lógica certeira, não haveria necessidade de ir a campo, aliás nem da figura do comentarista, talvez falar de projeções e pouco de jogo ajude a esconder a ausência de conhecimento tático. Pior que isto ainda, foi a torcida no Mineirão chamando Hope Solo de bicha em cada reposição de bola. Solo, bicha? Ei amigo torcedor, este foi um jogo de Olimpíada e na da competição doméstica de quarta e domingo...