segunda-feira, 6 de junho de 2016

DEVANEIOS DE UM JOGO QUE NÃO VI


Ontem olhei a ficha de todos os treinadores da Copa América-16. Quase todo tem um passado com história no futebol. Treinando vários clubes, muitos com experiência em outras seleções. Títulos com vivência no dia a dia de clubes. Experiência internacional vasta. Garega, por exemplo, começou por baixo e está à frente de uma seleção. Todos têm uma boa vivência, exceto um!

Não acompanhei este jogo, apenas deixei a televisão ligada nele. Mas ouvi diversas vezes o narrador falar da importância que a organização deu aos torcedores para garantir a segurança durante o jogo. Caso a Tempestade Tropical viesse a interferir na segurança dos torcedores o jogo seria cancelado. Bacana. O gramado impecável, e o mundo caindo em água. No Brasileirão, qualquer garoa deixa o estádio alagado.

Ouve um jogo. Tenso. Para ambos este é jogo decisivo. Em um grupo com Argentina e Chile, a vitória representaria mais que três pontos, mas a chance de classificação. Remota, mas a única possibilidade. Provavelmente, Panamá x Chile disputarão na última rodada do grupo a classificação para as quartas-de-finais, partindo da possibilidade de Argentina vencer seus três jogos.