domingo, 5 de junho de 2016

BRASIL EMPACOU DIANTE DO EQUADOR


Sim, o Brasil empacou ao empatar diante do Equador. Nos primeiros minutos acreditei que a ausência de Neymar pudesse despertar um novo nicho de criatividade. A seleção insistiu nos contra-ataques deixando espaço livre para o Equador restabelecer-se. Contra uma grande seleção isso pode ser uma arma letal. Passado o empenho inicial a seleção mostrou-se sem criatividade e incapaz de propor alternativas ao jogo previsível. Ao longo de jogo foram apenas 4 chutes ao gol, evidenciando a ausência de função do centro-avante. Mesmo com posse de bola “a la Guardiola” o time não conseguiu transformar posse em efetividade. Se não fosse um bandeirinha lambão, teríamos perdido com um frango de pelada.  Os jogadores que estão lá são bons, ótimos em seus clubes, porém, jogador é treinado para obedecer ordens e não para resolver com criatividade. A submissão do corpo às ordens deixa, o que poderia ser um espetáculo, em banho maria 90 minutos, sem objetividade. O treinador da seleção precisa mostrar que entende de futebol e não acreditar naquilo que jogador nenhum é treinado: para ser criativo.  

Ao longo da história da Copa América foram 13 jogos: 11 vitórias brasileiras e 2 empates. 51 gols brasileiros e apenas 11 gols equatorianos. O primeiro confronto foi na Copa América-1942, no Uruguai, 5x1, e o último havia na Copa América-2011, na Argentina, 4x2, sempre na primeira fase.

GRUPO B: Haiti 0x1 Peru | Brasil 0x0 Equador