segunda-feira, 30 de maio de 2016

NÃO VOU FALAR DA CULTURA DO ESTUPRO

Não vou falar da cultura do estupro. Não quero reproduzir o sensacionalismo que a mídia está fazendo. Não quero engrossar o caldo das aberrações que ouvi hoje de colegas que já respeitei. Não quero vibrar defendendo a morte por conta da vida. Não quero argumentar como todos estão fazendo. Muito menos aparecer como o governador em exercício do estado que não dá conta dos crimes o fez.  Também não é momento de encontrar mocinhos, mocinhas, culpados e demônios. “Age de tal modo que a máxima de tua ação possa sempre valer como princípio universal” (Immanuel Kant, 1724-1804). O crime e o criminoso constroem a aberração do assédio no limiar de toda moralidade e os imbecis repetem discursos torpes sem dar-se conta das atrocidades que falam.

NÃO AO ESTÚPRO!