segunda-feira, 14 de março de 2016

SUCESSO E FRACASSO: REALIDADE E FANTASIA

Transcrição de uma entrevista de Leandro Karnal.

O grande problema atual é ter encarnado a partir de um discurso americano de que sucesso e fracasso, perdedor ou vencedor, se deve exclusivamente a capacidade ou ao esforço. Logo, conclusão direta e perversa dessa ideia é que os pobres são pobres porque querem e os ricos são ricos porque têm mérito. Este talvez seja o pensamento mais perverso que se possa ter a este respeito.
(...)
A internalização, fazer o indivíduo se achar culpado por tudo, porque há cinquenta anos, por influência de um certo pensamento crítico, talvez ligado à esquerda, se dizia que era o sistema que impedia alguém de ser bom ou de ser vitorioso. Hoje se diz que é o indivíduo. Todas as frases afirmativas da autoajuda estão ligadas ao empreendedorismo. Por exemplo, o que você pensar acontece. Imaginar o que você pensa acontece só ocorro com duas categorias de pessoas: as crianças e os esquizofrênicos. São as categorias que os discursos cria. Ora, atire-se de um prédio e pense se você pode voar. Pense firme. Pense muito positivamente. Você vai descobrir que Newton é mais forte que o seu pensamento. Você me queda, está sendo atraindo a terra independente de seu pensamento positivo ou negativo. Nem sempre o positivo deve ser aguardado com ansiedade. Quando você faz um exame de gravidez ou de HIV, positivo talvez seja a palavra que você não queira ver registrado. A ideia de que o sucesso depende de quem tem pensamento positivo é uma ideia infantil. O sucesso pertence a uma pessoa por uma série complexa de ações, de determinações sociais, de oportunidades, de inteligência, de sorte, de acidente, de herança e de acaso. É uma complexidade enorme pra dizer que o pensamento cria. Quem acredita nisso, “eu fecho os olhos, imagino que vou ganhar algo no Natal” é exatamente a criança ou o esquizofrênico que tentem a confundir realidade com fantasia.