quinta-feira, 31 de março de 2016

BRASIL ESTARIA FORA DA COPA


Chegamos a sexta rodada das eliminatórias com um rendimento pífio, apenas 50% dos pontos disputados. Repito aquilo que mencionei no último post sobre o assunto. Nossos jogadores não são ruins, são bons, na maioria titulares em seus clubes. Mas falto algo que traga uma conexão entre os que estão em campo. Quando no intervalo vi a substituição de Fernandinho por Hulk causou-me estranheza. Pela forma como fez parecia desespero de videogame. Nada contra o profissional Dunga, mas não o vejo com experiência suficiente para reverter o quatro que se mostra, e falo isso diante dos números em competições oficiais que ele sustenta. Estamos em sexto numa competição de pelo menos sete candidatos em dez para cinco vagas. Dois vão dançar. Nesta lista desconto os bois mortos: Venezuela, Bolívia e Peru. Em todas decisões ele fracassou como treinador, com exceção de uma noite inspirada do Imperador Adriano na já longe Copa América 2007. De resto, urge um novo treineiro.

Será o que o cavalo paraguaio é na verdade equatoriano?


p.s.: não é apenas Dunga que deveria cair, mas toda estrutura que comanda o selecionado brasileiro.