quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

LIÇÕES E REFLEXÕES SOBRE BOLEIROS

O futebol brasileiro é muito estranho. Ontem, 23 de fevereiro, estive olhando um pouco do Redação Sportv, onde foi apresentado dados da CBF que aproximadamente 96,1% dos jogadores de futebol que atuam no país recebem menos de 5 mil dilmas mensais de salário. O sonho do dinheiro fácil no campo é para poucos. Lembro de um antigo diretor escolar que afirmava, em seus discursos, que a maior desigualdade social no país está no futebol. Os dados evidenciam isto! A falta de dinheiro anda próxima com a falta de planejamento, e com isto tempos uma cultura da bola para além da carreira que evidencia um profissionalismo precário e muitas vezes, é correlacionado com o boleirismo.

Minha crítica do boleirismo chega ao jogo da terça-feira a noite, válido pela terceira rodada da Copa Nordeste-16, supracitado. Enquanto o Fortaleza esteve na frente do placar não havia pressa em realizar as jogadas, abertura com gol de início e domínio da partida. Ao abrir o placar no início o time tocava a bola sem objetividade, o goleiro demorava para repor a bola e a cada segundo de máscara parecia ser uma eternidade. Noutro lado, o Botafogo, a flor da pele, partia para o ataque o tempo inteiro e irritados com a atitude antidesportiva do adversário. Quando finalmente penetrou as redes adversárias, a máscara inverteu e a antidesportividade também. Os jogadores do Belo, chegaram ao cúmulo, de posicionar-se na frente da bola para impedir a cobrança de falta e laterais. Num dado momento um jogador do tricolor cearense chegou a levantar o adversário sentado para acelerar o jogo após matar-tempo o jogo inteiro. Aquilo mais pareceu um festival de várzea. Estamos a falar de uma competição profissional, com regras, e antes dela, respeito ao próprio esporte. Uma postura profissional exige eticidade e não malandragem de campo.

Estou exagerando? Lá fora, a coisa é séria em campo. Veja duas chamadas de 2014 o site, Trivela:

Enquanto isso, na Copa Nordeste, a tábua de classificação do Grupo D,
1 – Sport Recife 6 pontos | 2 – Fortaleza 4 pontos | 3 – River 3 pontos | 4 Botafogo 1 ponto. Sport Recife e River jogam hoje, com transmissão da Globo Nordeste (PE) e EI Maxx, às 21h45.