terça-feira, 5 de janeiro de 2016

INTER GOLEIA E CLASSIFICA-SE COM UMA DÚZIA GOLS

Ouvir placares sem conhecer o jogo pode causar engano. Quando ouvi que o Internacional havia goleado o atua vice-campeão, o Botafogo de Ribeirão Preto, fiquei curioso para saber o que este time tem de bom. Ainda há outros elementos que chamam atenção. Em jogos a cada 48 horas é um desafio a força física dos atletas e as condições dos gramados. São jogos em período de muito calor e chuva. Não há grama que vai suportar a maratona. Outra coisa ainda, ouvi alguns comentaristas comparando o desempenho dos times grande com o Brasileirão; Copa do Brasil e Copa Ipiranga da categoria. Não dá. São níveis completamente diferente. Os adversários nesta primeira fase da Copinha é muito fraca, o que faz um time muito bom, algumas vezes é a incapacidade dos adversários, penso ser o caso do Internacional neste grupo. Mas mesmo assim dá para fazer algumas avaliações do jogo.

O Serrano entrou com um esquema tático pensando em 4-2-3-1, mas isto somente no papel. As saídas de bola pela lateral buscavam via lançamentos longos Hércules, mas o pobre atacante quando recebia a bola nada tinha por fazer.  O segundo tempo tudo diferente. O treinador pensou o jogo, armou um esquema e na volta do intervalo, lima os volantes e enche de atacantes. Se os jogadores não entenderam a tática em dois dias de preparação, não será em minutos que tudo iria mudar. Outras bizarrices, os jogadores não desceram para o intervalo, segundo entrevista, ficaram em campo para auxiliar na concentração. Mas não funcionou na qualidade. Time muito ruim este do Serrano, não consegue manter um esquema tático e não tem objetividade no jogo.

Noutro lado, o Internacional, tem um jogo interessante. Usa muito do recurso de passes em linhas verticais. Toques rápidos e curtos. Com muito espaço a construção de jogadas era fácil demais. Talvez o esquema de passes verticais deva sofrer quando enfrentar alguém com capacidade de marcação melhor. Os volantes não são destruidores, mas participam da construção da jogada e o atacante Mila não funciona como um centro avante, mas usa de posicionamento flutuante, o que dificulta a marcação e dá maior flexibilidade ao ataque. Parece ser um time bem montado. Segundo tempo, nada fez, apenas administrou os três acrescentando outros três.

Serrano: Neto. Lula (72’ Almeida); Igor Oliveira; Izael e Ernandes. Duda e Cristian (67’ Ubaldo). Diógenes (61’ Rafael Sena); Tálisson e Lucas Santos. Hércules.
DT: Ado Almeida

Internacional: Igor. Junior; Ortis; Ericks e Iago. Charles; Silas (77’ Gustavo Ramos); Ariel (68’ Matheus Oliveira) e Valdemir (68’ Roberto). Mila e Yan Peter.
DT: Carlos Leira.

Gols: 7’ Ariel; 30’ Valdemir; 43’ Ariel; 78’ Matheus Oliveira; 82’ Ericks e 84’ Mila.

Cartão Amarelo: 59’ Silas 81’ Junior.

Classificação: 1. Internacional RS 6 ptos (+12); 2. São Carlos 4 ptos (+4); 3. Botafogo SP 1 pto (-6) e 4. Serrano 0 pto (-10).