sábado, 23 de janeiro de 2016

COMO A NATUREZA PODE SER CRUEL


Quando comento com as pessoas que moro num sítio, é fato que a maioria associa o habitat bucólico a tranquilidade. Lamento desapontar, esta relação não é direta. Na semana que passou acordei ao som dos quero-queros. Aquela revolta não era o normal. As aves estavam em movimento de ataque contra estes que aponto na foto acima. Os pássaros barulhentos estavam me defesa do ninho. Toda a confusão de aves estava motivada pela sobrevivência dos filhotes e do ninho. Estes que não sei nomear, depois do ataque, ficaram imóveis por um tempo e na sequência voaram até próximo o riacho onde continuaram sua saga de caça a ninhos e peixes também. O que me chama atenção é a crueldade que tudo é feito. A sobrevivência de uns é dada pela morte de outras. Há uma guerra perene estabelecida entre os tipos a fim de garantir um suposto equilíbrio. Enquanto isso, vamos por vezes a repetir o mesmo comportamento. Vide as páginas policiais dos noticiários. Nem sempre a racionalidade é o elemento que nos diferenciam dos animais...