sábado, 5 de dezembro de 2015

CINCO HABILIDADES QUE OS VIDEOGAMES ENSINAM

Texto produzido pela Game Based Learning
Tradução prof. Albio Fabian Melchioretto
Blumenau, 23 de outubro de 2015

Os videogames podem ser usados para além do entretenimento. Existem afirmações que apontam que os jogos eletrônicos desenvolvam uma parte abstrata e transversais das competências necessárias para o profissional do século XXI, porém, quais o que exatamente estas competências consideram? Ao longo do texto serão desatacadas cinco competências importantes que podem ser desenvolvidas a partir de conceitos de gameficação e ludificação.

Pensamento Crítico: nos jogos é necessário desenvolver a tomada de decisões, incluindo os jogos mais simples de plataformas até os mais complexos. Existem pontos que uma decisão determina o êxito ou o fracasso para os jogadores. Os jogos mais sofisticados necessitam que se desenvolva um pensamento estratégico para a tomada de decisões. Então o desafio: por que não tentar uma projeção das habilidades adquiridas pelos escolares no jogo sobre a vida cotidiana? Apontar recursos que exijam o desenvolvimento de tomada de decisões através da gameficação de fatos pode tornar a aula mais significativa.
Resolução de problemas: esta habilidade está intimamente ligada com a anterior. Cada jogo é um “quebra-cabeças”, vide os jogos de esportes que requerem a resolução de problemas de ordem física e de gestão, por exemplo, não é um simples jogar, mas envolve um contexto. Muitos jogos, como Minecraft o World of Warcraft, se desvelam ao redor de modelos de resolução de problemas demasiadamente complexos. Praticar esta habilidade tem uma aplicação direta com as necessidades reais do escolar. Situações inusitadas que levam para novas possibilidades.
Colaboração e comunicação: estas habilidades se constroem praticamente nos principais modelos de trabalho em grupo (colaborativo e cooperativo), tanto nos perfis docentes quanto discentes, os jogos também contribuem para fomentar a aquisição desta necessária competência, por meio de jogos de estratégias desenvolvidos em equipes.
Cidadania digital: Antes que te pareça que Call of Duty seja um paradoxo do desenvolvimento de competências, onde nada relaciona-se com os apontamentos sociais e cidadã, jogos deste tipo, podem na realidade, ensinar a encarar uma comunidade virtual através das determinas normas e especificidades de cada um dos seus membros envolvidos. Isto pode traduzir-se num contexto mais amplo, medido pela interação humana física e virtual digital onde o exercício da cidadania digital é uma competência que deve transpor para a sociedade real o vivido no virtual.
Alfabetização digital: a alfabetização digital, é composta por múltiplos elementos, como as habilidades sociais, o pensamento crítico e a aprendizagem autodidata. O videogame suporta muito destas áreas e ajuda a desenvolver competências na seleção e na informação do ciberespaço. O ato mesmo de envolver e de ordenar e envolvem os escolares com tecnologias e os videogames são uma forma profunda e significativa de construção.