segunda-feira, 2 de novembro de 2015

TIGRE SUPERA ÍNDIO XAVANTE EM PÊNALTIS


Este ano o aficionado pelo futebol tem motivo para sorrir além da conta. Pela primeira vez as quatro divisões têm televisionamento em nível nacional, seja por canais abertos ou seja pela televisão paga. Que este expediente continue, pois os torcedores do futebol agradecem. O jogo de hoje marca a volta da semifinal entre Vila Nova e Brasil para enfrentar o Londrina na grande final da terceira divisão. O Vila Nova vem de um 2014 desastroso com dois rebaixamentos, revertido este ano com dois acessos. Primeiro jogo terminou num empate sem gols. A volta, com Serra Dourado cheio marcou um jogo não muito interessante no primeiro tempo: marcação forte, muitas faltas, bolas lançadas à distância e sem gols.

Para o segundo tempo, o técnico do time goiano, Márcio Fernandez, tira um homem do meio campo para acrescentar um atacante. A mudança resultou numa blitz nos primeiros dez minutos de jogo, mas depois disso o jogo voltou a normalidade do primeiro tempo. Porém, o treineiro do Brasil ao invés de buscar o gol, resolveu encher a meia cancha de votantes. A entrada de Jardel representa a ação de aceitar o placar para buscar um empate sem gols. Parece uma atitude pequena demais. Resultado: gol de Frontini aos 65’, porém, em posição irregular. Isto mostra claramente que segurar a pressão, nem sempre pode ser a melhor opção. Mas a segunda metade do segundo tempo foi mais movimentado em relação ao que foi o primeiro. O forma que o Vila Nova usa o 3-5-2 é muito interessante, os dois laterais sã ponteiros, é a forma como entendo ser a mais criativa que meros alas preocupados em demasia com marcação. Isto sufocou o time de Pelotas o tempo inteiro, porém não se traduziu em gols e novamente ficou no zero o placar.

FICHA DE JOGO

Vila Nova:   Edson. Marcelo (87’ Baiano), Vinicius Simon e Gustavo Bastos. Vitor, Marinho Donizete, Francesco (46’ Matheus Anderson), Robston e Ramires. Moisés (87’ Bruno Lopes) e Frontini.

Brasil:  Eduardo Martini. Wender, Leandro Camilo, Teco e Xaro. Leandro Leite, Washington, Cleverson (70’ Gustavo Papa) e Diogo Oliveira (61’ Jardel). Gallardo e Felipe Garcia (87’ Brock).

Cartão Amarelo: 3’ Leandro Camilo.40’ Gustavo Bastos. 58’ Vitor. 60’ Washington. 81’ Vinicius Simon. 

Público aproximado: 25.500 pessoas.

Pênaltis: Robston [gol] Xaro [pra fora] | Frontini [defesa] Gustavo Papa [gol] | Ramires [pra fora] Gallardo [defesa] | Baiano [gol] Washington [pra fora] | Marinho Donizete [travessão] Jardel [gol] | Vitor [gol] Brock [gol] | Bruno Lopes [gol] Wender [travessão].