domingo, 24 de maio de 2015

FÓRMULAS DE VELOCIDADE E NÃO DE FÍSICA

O quarto domingo de maio é tradicionalmente marcado por duas grandes competições de fórmulas. Este ano tivemos uma terceira que pode ser acrescentada a lista de quatro. Curti o ócio dominical acompanhando muita velocidade. Vamos aos pitacos.

F-E: Tenho ao longo do ano acompanhado todas as etapas da Fórmula Super-Choque. A categoria tem surpreendido pelas escolhas inusitadas como correr num aeroporto. Não que isso seja novidade, na Europa pré-F1 muito se fez e a Indy ainda faz. Mas ela ao estar em Templehof mostra o contraste que é com a F1. Propõe uma proximidade como o público ao fugir do convencional um paradoxo com a tradicional F-1. Penso que este será um projeto de longa duração.

F-1: Mesmo diante da loucura de estar em ruas estreitas ver Mônaco tem lá seu brilho. Talvez por estar no consciente as magias de Senna. Mas a corrida de hoje foi muito chata e sem emoção. O melhor que teve foi uma discussão de ultrapassagem sobre retardatários. A falta de ultrapassagem não é causa-Mônoco toda corrida isso. Verstappen foi o grande personagem que mudou a história. Irritava-me o discurso de Galvão Bueno ao falar da idade do garoto. Se ele não tem maturidade para estar dever-se-ia rever as categorias de base ou impedir a super-licença, se ele passou por isso merece estar aí. E outra coisa, chega do politicamente-correto nas pistas. Existe um excesso de não-pode! Aliás, onde ele bateu foi o mesmo lugar de outras batidas de gente de pedigree. Está certo que a vitória de Rosberg deu-se por um erro de equipe com Hamilton (acredito nisso [?]), mas tirando o fato ela foi enfadonha.

F-RENAULT 3,5: O canal está dando um tratamento diferenciado. Mesmo com a ausência do live time o narrador e o comentarista mostraram legal como segurar a peteca.

F-INDY: a categoria é show. Pode perder para a F-1 em tecnologia e recursos, mas as ultrapassagens e o fora de pista é um universo fantástico. Ver Indianápolis lotado muito legal também. Depois de tantos acidentes dramáticos ao longo da semana fui acompanhar a prova com um ar de apreensão. Até mesmo o acidente de Savedra deixou-me tenso aqui, mas no final de tudo, é possível perceber que houve uma preocupação com a segurança dos pilotos. Não gosto de compara-la, mas ela tem algo essencial para corrida de carros: ultrapassagens. Por ora, prefiro esta.