quarta-feira, 27 de agosto de 2014

A CRISE NO AUTOMOBILISMO AMERICANO

Ao acompanhar a F Indy tenho a mesma sensação que tenho a F1 em relação ao futuro dos pilotos brasileiros. Logo não teremos. A diferença é que na Indy há chances de título e vitórias mais claras que na F1. Mas não é sobre isto que quero escrever. Mas quero comentar sobre a diferença de patrocínios de 2012 para agora 2014. Lembro dos carros sem adesivos e agora os carros da categoria americana voltam a assemelhar-se a lista telefônicas. Muitos anúncios, muitas patrocinadores, carros com mais logomarcas que espaço vazio. Tomara que estes anunciantes fazem novas equipes e mais vagas aparecerem, hoje três equipes formam a metade do grid, Andretti, Penske e Ganassi. Se a crise está diminuindo o esporte a motor pode voltar a ganhar.

Post escrito em 20-07-2014