domingo, 20 de julho de 2014

COMENTÁRIO DO GP DA ALEMANHA

Este ano não tenho escrito sobre F1. Em uma década é a primeira temporada que olho a certa distância. O desinteresse parece ser geral, ao ponto da Rede Globo optar apelas pelo Q3 do qualificatório. Confesso não estranhar se acontecer aqui o que está por acontecer em outros países da América Latina, deixar o circo apenas na televisão paga. Mas, antes disso, vejo quatro situações distintas na F1:

- MERCEDES
- F1
- CATERHAM E MARUSSIA
- FELIPE MASSA

A Merecedes que vence, faz dobradinha, larga no fundo do pelotão e chega na frente. Lá atrás existem as duas nanicas. A Marussia parece estar melhor, os verdinhos já trocaram de donos e não vejo outra coisa senão os cativos lugares no fim do pelotão. Em meio a tudo há Felipe Massa, um bom piloto, mas precisa de sal grosso e arruda. E no meio disso existe uma categoria chamada F1: McLaren; RedBull; ToroRosso; Ferrari; Sauber; Williams e Force Índia que estão a disputar o vice de construtores e que não serão as lanternas.

Domingo tem GP da Hungria!