segunda-feira, 9 de junho de 2014

EM TEMPOS DE REDES SOCIAIS VIRTUAIS

Estava a navegar e encontrei o texto abaixo e resolvi traduzi-lo, segue uma tradução livre. Mas ele é interessante para dar conta de um problema, nosso tempo é marcado pelo fenômeno das Redes Sociais Virtuais.

A sociedade contemporânea tem sido caracterizada por diversas transformações. Muitos pensadores usam elementos diferentes para explica-las. A depender da ênfase que estamos dado, alguns autores tem assinalado entre outros, o caráter de liquidez e de consumo, como Bauman; a condição de risco apontado por Beck ou os deslocamentos de Urry. Com estes autores destacam estas tendências que são altamente significativas e que por sua relevância dão conta de ampliar processos que adquirem uma dimensão global. As mudanças não são individuais.  O caráter pós-moderno da sociedade contemporânea, refere-se a um período específico, se faz menção a um movimento de intersecção de campos, a constituição de novas fronteiras  que cruzam os limites entre arte e ciência, entre jogo e formalidade segundo Lyotard. Mas quais limites são ultrapassados e para onde vão?

No entanto, estas formas de entender e interpretar a sociedade contemporânea coincidem com a aceleração da velocidade e das transformações com suas características mais significativas. A esta rapidez são correspondidas com o surgimento de novas formas de organização social produto de um incremento da novidade em nível de pessoas, tecnologias, de produtos, mercadorias e formas de comunicação. Todas estas manifestações e tendências são efêmeras, incertas e angustiantes. Uma das consequências destas rápidas transformações e seu impacto nas formações de organização social e da sociedade num sentido geral. Para dar nome as estas novas situações e processos tem se qualificado numerosos conceitos que pretendem dar conta das novas circunstâncias, um exemplo disso são as comunidades virtuais com um volume gigantescos e praticamente incontáveis.