domingo, 29 de junho de 2014

CAMINHOS

É difícil conhecer nosso caminho. Nós nunca sabemos se é o certo ou o errado. Viver é um caminhar sobre dúvidas. O mais duro é aprender a aceitar tudo isso quando se constrói toda uma vida pautados em escolhas que geram certeza e conforto. Mas somente há crescimento e aprendizagem quando esta zona de conforto é destruída. Destruir, duvidar, caminhar, são verbos nada fáceis, mas o pior dos verbos é o ‘aceitar’, porque significa que o caminho se destruiu e não há volta. Se volta não há, então dever-se-ia olhar para frente, mas o que vem depois da curva?

Sexta-feira encontrei um frase de Paulo Leminski que dizia: “nunca sei ao certo se sou um menino de dúvidas ou um homem de fé... certezas o vento leva, só dúvidas ficam de pé”.