quinta-feira, 1 de maio de 2014

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL, SERÁ?

Pela passagem do dia Internacional da Educação vi muitas coisas. Uma delas foi o excesso de educação profissional aliada ao Ensino Médio. E não faltam projetos, não faltam discursos e não faltam iniciativas. Oba, vamos formar apertadores de parafusos. Existe e é claro, dois problemas, o primeiro deles que é a falta de mão de obra qualificada, e o segundo, mais importante, é base para a construção do conhecimento científico. A escola, enquanto instituição, não pode levar-se por iniciativas momentâneas e partir para aventuras, como é a história da educação do Brasil, abraçar discursos e ideias e abandoná-los na manhã seguinte.

Se há números que mostram o sucesso da Finlândia e da Polônia com a inclusão do ensino profissional articulado é preciso copiar também o modelo da educação básica, o modelo estrutural da formação de professores na universidade e a política salarial para professores destes países. Copiar apenas o que convém é pura demagogia.