terça-feira, 25 de março de 2014

ARQUIDIOCESE DO RIO CRITICA EM NOTA O PROJETO DO PNE

Classificação por gênero contraria princípios cristãos


Texto Jornal do Brasil

projeto do Plano Nacional de Educação (PNE), que deverá ser votado no Congresso Nacional nesta quarta-feira (26), foi alvo de crítica da Arquidiocese do Rio de Janeiro devido à introdução da classificação dos alunos por gênero e não mais por sexo. Em nota, assinada pelo Cardeal Orani Tempesta, o projeto é considerado uma afronta às famílias brasileiras por “introduzir oficialmente no ensino nacional a revolucionária, sorrateira e perigosa ideologia de gênero”. Veja abaixo a íntegra da nota divulgada pela Arquidiocese:
Nota sobre o PNE
Depois de adiada várias vezes devido à pressão popular, a votação do Plano Nacional de Educação (PNE), a vigorar nos próximos dez anos como parâmetro ao sistema educacional brasileiro, foi marcada para a próxima quarta-feira, dia 26 de março.
                O documento a ser votado contém, no entanto, uma afronta às famílias brasileiras responsáveis pelas novas gerações, pois introduz, oficialmente, no ensino nacional a revolucionária, sorrateira e perigosa “ideologia de gênero” desmascarada mais de uma vez por estudiosos de renome.
                É importante saber que a palavra gênero substitui – por uma ardilosa e bem planejada manipulação da linguagem – o termo sexo. Tal substituição não se dá, porém, como um sinônimo, mas, sim, como um vocábulo novo capaz de implantar na mente e nos costumes das pessoas conceitos e práticas inimagináveis.
                Nesse modelo inovador de sociedade, não existiria mais homem e mulher distintos segundo a natureza, mas, ao contrário, só haveria um ser humano neutro ou indefinido que a sociedade – e não o próprio sujeito – faria ser homem ou mulher, segundo as funções que lhe oferecer.
Vê-se, portanto, quão arbitrária, antinatural e anticristã é a ideologia de gênero contida no Plano Nacional de Educação (PNE) e que por essa razão merece a sadia reação dos cristãos e de todas as pessoas de boa vontade a fim de pedir que nossos representantes no Congresso Nacional façam, mais uma vez, jus ao encargo que têm de serem nossos representantes e rejeitem, peremptoriamente, a ideologia de gênero em nosso sistema de ensino.
As formas de participação – simples, mas imprescindíveis – são as seguintes: a) assinatura em uma plataforma específica no  http://www.citizengo.org/pt-pt/5312-ideologia-genero-na-educacao-nao-obrigado e b) ligação gratuita pelo telefone 0800 619 619. Tecla “9” pedindo a rejeição à ideologia de gênero em nosso sistema educacional.
São José, patrono da família, rogai por nós!
Rio de Janeiro, RJ, 25 de março de 2014.
† Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ.