quarta-feira, 12 de março de 2014

A ESCOLA E O TRABALHO – PARA ALIENAR



Da obra de Leôncio Basbaum, Alienação e humanismo

O que se verifica, em resumo, é uma tendência a transformar os jovens em animais domesticados que marcham passivamente, como bois, carneiros ou porcos, para o matadouro sem saber que vão ser transformados em filets ou salsichas. Mas a alienação humana atingiu um grau muito mais aperfeiçoado, pois muitos sabem que estão caminhando para o matadouro e, não obstante seguem o seu caminho, aceitam o seu destino, como se isto estivesse pré-escrito no livro do tempo, destino inexorável e irreversível como o próprio tempo. Como conseguir que o homem, nascido livre, se transforme em um boi, em um irracional domesticado? Peia educação.Os homens são levados a crer no sistema ao qual não podem escapar, pois são educados para que não escapem. Pelo trabalho, o homem se aliena. Pela educação, preparam-no para a alienação. A educação é assim a maior arma de que dispõem os senhores da propriedade privada, para que tudo continue como está. Para que continuem comendo tranquilamente as suas salsichas.