sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

COMENTÁRIO DO CURTA THE BLACK HOLE



Por Rafael Ferreira

Em 2008 tem início o Virgin Media Shorts, uma competição de curtas-metragens ingleses. A iniciativa tem o intuito de descobrir novos talentos, e dentre os quais se destacam Philip Sansom e Olly Williams (conhecidos como Diamond Dogs), vencedores da primeira edição com o curta The Black Hole (O Buraco Negro). Uma história muito interessante, condensada em apenas dois minutos e meio, sobre um funcionário que acidentalmente se depara com um buraco negro, e encontra nisto a possibilidade de se dar bem na vida. O tema principal do filme se encontra justamente neste final.

O prêmio do Virgin Media Shorts, entregue por ninguém menos que o ator Kevin Spacey, foi a porta de entrada para outros trabalhos da dupla, dos quais cito seu segundo curta, Archaeology (Arqueologia, 2011), e vários videoclipes de artistas como Robbie Williams, Will Young, e Natalie Imbruglia.

Por Rita de Sousa

The Black Hole, ou O buraco negro, é um divertidíssimo curta surreal que, sem nenhum diálogo que, em menos de dois minutos, trata do tédio, do absurdo e sobretudo da ganância.

Napoleão Ryan faz um bom trabalho como um funcionário entediado que, numa noite solitária qualquer no escritório, tem uma enorme surpresa vindo da copiadora.


O filme foi rodado com equipamento emprestado, em uma noite, e foi vencedor do festival internacional Filminute  de 2009, e do Grande Prêmio no concurso de cinema Virgin Media. É dirigido pela dupla inglesa que se intitula Diamond Dogs, formada por Phil Sansom e Olly Willians, diretores de vários comerciais no Reino Unido e Estados Unidos.