quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

AUTORETRATO: A DITADURA DO BELO

É belo quando tem graça e dignidade, quando é surpreendente e é inusitado (SCHILLER). 

O belo tem a ver com a subjetividade, mas a idolatria da própria imagem ultrapassa os limites da subjetividade e torna o inusitado previsível. Falo do autofografia em temos de Facebook. Dia após a dia a necessidade compulsiva de autofotografar polui qualquer timeline e junto com a beleza para si mesmo estão carregados os comentários monovocábulos que nada dizem, nem elogiam, nem agridem. As redes sociais virtuais carregaram consigo a banalização da fotografia e a vulgarização da graça do belo.