segunda-feira, 2 de setembro de 2013

A EDUCAÇÃO E DURKHEIM



Nesta última semana conclui a leitura da obra Educação e Sociologia de Émile Durkheim. Após fazer o fichamento da leitura fiz alguns devaneios da obra refletindo alguns pontos anotados pelo autor. Segue abaixo tal devaneio:

O que fica evidente na obra de Durkheim é que a sociedade prevalece sobre o indivíduo e isto não seria diferente com a pedagogia. A sociedade é um conjunto de normas e ações que são construídos exteriormente – fora das consciências individuais. Entender o conjunto social que nos cerca é entender a pedagogia.
A primeira ação do pedagogo é voltar-se para o estudo da sociedade. Não se faz educação [pedagogia] sem conhecer profundamente a sociedade na qual o indivíduo está incluso. Se trouxermos a reflexão para algumas práticas que adotamos podemos contestar exames como o ENEM; Prova Brasil e outros que submetem culturas tão distintas dentro de um mesmo processo. Como pode, seguindo a linha de Durkheim, por sob o mesmo teto estudantes do Rio Grande e estudantes de São Gabriel da Cachoeira? O estudo social fará ver que as normas construídas externamente sejam condutoras do imperativo moral que rege cada parte social – que se pensa no sul possui particulares que não existem no norte. Mas o social não é o único agente externo. O processo pedagógico deve estar focado também no tempo. As práticas que herdamos dos jesuítas por exemplo não podem perpetuar-se.
O sucesso do processo pedagógico para Durkheim está diretamente condicionado aos resultados da sociologia.

Durkheim, Émile. Educação e Sociologia. 6a. Ed. São Paulo: Edições Melhoramento, 1979.