terça-feira, 26 de março de 2013

O QUE O PSC ESTÁ ESPERANDO?


Foto: Portal Diário dos Pastores

A posição do partido é incompreensível, toda uma nação contra Marco Feliciano e o partido assume sua vocação de ser nanico. Não estão pensando no partido, no povo, apenas em satisfazer o “santo” ego de alguém que não compreende seu papel enquanto político. Dentro da igreja que cada qual possa vir a participar o indivíduo tem todo o direito de aceitar ou não aceitar as coisas, as posições e debater a ética restrita do sacrossanto espaço, mas no âmbito público um deputado deixa de ser um crente e se torna um servidor da pátria. Mas este sujeitinho que está no parlamento deve se despir de convicções pessoais e aceitar que está a trabalho de uma nação – seja a vontade de Deus ou o desejo dos indoutos que o elegeram. A liberdade religiosa cessa no momento que há interesses de toda uma nação. O que a mídia não está debatendo é a relação intrínseca que existe entre a religião e a política. Cada vez mais vemos igrejas pentecostais transformando o púlpito em palanque eleitoreiro, a fé em votos. Este deveria ser o debate. Porque tais igrejas conseguem eleger pessoas com convicções segmentárias e antidemocratas? Há grande falho no processo eleitoral. 

Lamento que uma pequena corja consiga fazer quase a totalidade de a nação desacreditar na política brasileira. #FORA MARCO FELICIANO.