terça-feira, 19 de junho de 2012

O menor discurso

Dos textos que recebo por e-mail prefiro deixar o autor de fora deles. Muitos são repassados e não são de autoria dos que são ditos. Quantos textos Mário Quintana, Veríssimo e Rubem Alves não escreveram, mas nem por isso são menos belos. Este aqui foi-me enviado por um anjo querido que com palavras duras e com palavras de ternura sempre esteve me ouvido. Por isso compartilho estas linhas.

"Imagine a vida como um jogo em que você esta fazendo malabarismos com cinco bolas no ar."

Estas são:
- Seu trabalho,
- Sua família,
- Sua Saúde,
- Seus amigos e
- Sua vida espiritual.

E você tem que manter  tudo isso sempre no ar.

Logo você vai perceber que o trabalho é como uma bola de borracha. Se deixar cair ela rebaterá e irá saltar de volta. Mas as outras quatro bolas: família, saúde, amigos e vida espiritual são frágeis como vidro. Se você deixar cair um destas, irrevogavelmente serão lascadas, marcadas, cortes a danificando ou mesmo a quebrando. Nunca serão as mesmas.
Temos de entender isto: Apreciar e se esforçar para alcançar e cuidar do mais valioso.

Trabalhar de forma eficaz nas horas normais de trabalho e deixar o trabalho a tempo. Dê o tempo necessário para sua família e amigos. Exercite-se, comer e descansar adequadamente. E acima de tudo ... Crescer na vida interior, espiritual, que é o mais importante, porque é eterna.

Shakespeare disse: Eu sempre me sinto feliz, sabe por quê? Porque eu não espero nada de ninguém. Esperar sempre dói. Os problemas não são eternos, sempre têm soluções. A única coisa que não resolve é a morte. A vida é curta, por isso, adoro isso!

Vivo intensamente e lembre-se:

Antes de falar... Ouça!
Antes de escrever... Pense!
Antes de criticar... Examine-se!
Antes de ferir... Sinta-se!
Antes de orar... Desculpe!
Antes de gastar... Ganhe!
Antes de desistir... Tente!
ANTES DE MORRER... VIVA!