segunda-feira, 4 de junho de 2012

ÁRVORES


Hoje comecei a me entender com um software que auxilia na estrutura de árvores genealógicas. Este será o meu projeto para o segundo semestre. Algo que há tempos desejava fazer, escrever a história da família De Prá e num segundo momento a história da família Melchioretto no Braço Direito do Alto Rio Luiz Alves. Mas esta será este assunto para outro post. Mas falo dele porque me fez pensar sobre árvores.


Sábado ao caminhar fotografei este reflorestamento. No momento encantei-me com o fundo azul - lindo. Mas, a vida de uma árvore é algo limitado. Ela está e estará sempre lá, se for transportada é porque perdeu a vida e tornou-se objeto na mão do homem que demarca seu território. Uma árvore passa toda uma vida, algumas centenárias, sem saber o que é o mundo que está a sua volta. Ela é fixa por tem raiz e algumas são profundas. A vida é limitada pelo balancear do vento. Infelizmente, às vezes, fizemos escolhas de árvores e deixamos o mundo que está em volta por conta de garras tão profundas como raízes que nos impedem de ver que há um mundo para além de algumas convicções. Mas, diferente da árvore, podemos deixar nosso lugar sem perder a vida...