sábado, 8 de outubro de 2011

Papa convida a identificar novas vias de evangelização

TIRANA, segunda-feira, 3 de outubro de 2011 (ZENIT.org)


Bento XVI incentivou os bispos europeus a aprofundarem no tema da nova evangelização, na mensagem que enviou, por meio do seu secretário de Estado, cardeal Tarcisio Bertone, aos participantes da Assembleia Plenária do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE), realizada em Tirana (Albânia), de 29 de setembro a 2 de outubro. O Papa os convidou a "identificar, com audácia missionária, caminhos novos de evangelização, especialmente a serviço das novas gerações". Em sua mensagem, também os incentivou a "prosseguir a obra desta valiosa estrutura de união entre episcopados europeus, que há 40 anos promove uma frutífera colaboração em atividades pastorais e ecumênicas". A 41ª sessão plenária do CCEE se desenvolveu na capital albanesa, sobre o tema da nova evangelização. Uma grande pesquisa, realizada em todas as conferências episcopais, serviu como base para preparar o encontro, segundo informou o CCEE no comunicado final da assembleia. Esta pesquisa evidenciou que "a nova evangelização é uma das maiores preocupações dos bispos europeus", afirmou o comunicado.


Neste sentido, já se realizou um trabalho importante de diversas maneiras: por meio de sínodos diocesanos e reflexões no âmbito das conferências episcopais, da publicação de documentos em quase todos os países e de numerosas aplicações práticas.


"A evangelização é a manifestação da vida e da vitalidade da Igreja", disseram os representantes do CCEE no comunicado final do seu encontro.


Sobre o conceito de nova evangelização, indicaram que esta "não deve ser entendida como uma simples atividade pastoral, mas como a manifestação da sua natureza e da sua missão".


Os representantes dos episcopados europeus esclareceram que "a nova evangelização se dirige não somente aos cristãos que se afastaram da fé, mas a todos".


"Ela tem o objetivo de anunciar Cristo" e "todos os crentes, por meio do seu Batismo, estão chamados a participar dela: as famílias, os jovens - que, em geral, são os mais dispostos a tornar-se missionários -, mas também as paróquias, os movimentos e as novas comunidades".


Segundo os bispos europeus, "também a catequese e as escolas católicas devem tornar-se cada vez mais lugares de evangelização".


"Trata-se também de buscar novos caminhos para a evangelização, como, por exemplo, as novas tecnologias, a internet e as redes sociais", acrescentaram.


E tudo isso será possível, sublinharam, "somente se, a exemplo dos cristãos nos Atos dos Apóstolos, nos abrirmos de maneira nova ao Espírito Santo: não haverá nova evangelização sem um novo Pentecostes!".