quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Contra fatos não há argumentos?

Fui fazer exames médicos para admissão e fiquei escandalizado com aquilo. O médico esteve mais interessado em discutir Pitágoras e Heráclito do que saber necessariamente de meu histórico de saúde. Não nego que a conversa rápida filosófico com alguém que tenha uma bagagem cultura me foi muito apreciada, porém, sua função não era rever a condenação de Sócrates e sim prestar para aquilo que estava exercendo, penso que ele se esquecera de seu julgamento de Hipócrates, embora eu, na qualidade de filósofo ainda lembrei-me de meu julgamento no ato da formatura. Mas, indo ao ponto, se cada um dessa conta de seu dever, com certeza não teríamos tantos problemas e isto começa com pequenas coisas como fazer adequadamente seu papel profissional. Por mais moralista que esta frase possa parecer, é fato!