quarta-feira, 21 de julho de 2010

Chávez e a Globovision

Chávez até pode estar agindo dentro da legalidade venezuelana. Aliás, pelo que li, acredito que esteja como esteve quando agiu com a RCTV. O que o governo propõe a Globovisión nada mais é do que uma execução da tese de que as ações do acionista falecido deveriam passar para o governo. Como resposta o canal afirma que a concessão não está em nome de pessoas físicas, e sim da empresa Corpomedios, o que deve despertar um imbróglio jurídico. Não quero entrar nas questões do fato em si, mas não concordo com a legalidade nesta hora. É uma violação flagrante da liberdade de imprensa e de empreendimento o que o governo está propondo. A legalidade venezuelana está sendo feito a partir de discursos fazinacionalistas e de tentativas de legalizar a estatização de opinião, mais que controlar um veículo de comunicação há um controle de opiniões. Porém, para um brasileiro fica difícil falar destas questões. A dificuldade se dá pela forma como são distribuídas as audiências televisivas nesta terra. Em via de alienação por lá e já alienados cá.

p.s.: Vejo Globovisón e já tive o desprazer de acompanhar um discurso medíocre de Chávez.