sábado, 30 de janeiro de 2010

Lamento pelo Haiti

Texto de Leonardo Boff

Há uma via-sacra de sofrimento com estações que nunca acabam no pequeno e pobre país do Haiti. Sofrimento no corpo, na alma, no coração, na mente assaltada por fantasmas de pânico e morte. Há também muito sofrimento em todos que não perderam o senso mínimo de humanidade e de solidariedade. Dessa compaixão universal nasce uma misteriosa comunidade que anula diferenças, religiões, ideologias que antes nos separavam e nos dividam. Agora só conta a comum humanitas absurdamente maltratada e que deve ser socorrida. Em cada haitiano que sofre soterrado ou que morre de sede e de fome, morremos um pouco também todos nós junto com eles. Finalmente somos irmãos e irmãs da única e mesma família humana. Como não sofrer? (...)

Esse silêncio de Deus é aterrador porque não tem resposta. Por mais que gênios como Jó, Buda, Santo Agostinho, Tomás de Aquino, Leibniz e outros tivessem arquitetado argumentos para isentar Deus e esclarecer a dor, nem por isso a dor desaparece e a tragédia deixa de existir. A compreensão da dor não suspende a dor, assim como ouvir receitas culinárias não mata a fome. O próprio Jesus não foi poupado da angústia do sofrimento. Do alto da cruz lançou um brado lancinante ao céu, queixando-se: "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?"