segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Qual o papel da história?


Ontem sentei para relatar alguns apontamentos da aula da pós-graduação, discussão em Antropologia Filosófica e acabei por descrever algumas coisas que ora por ter sentido ou não. Veja: "qual é o papel da história? Talvez esta pergunta pudesse ser refletida a luz de outra questão importante: como é contada a história? Ao se pensar o ser humano dentro de um nicho cultural apreendido, há como conseqüência sua ação enquanto agente formador de uma linha continua temporal. Esta linha não é pessoal, mas aborda uma coletividade da qual está inserida. A ação formadora é marcada com características peculiares e estas características determinam o que grupo pertence cada individuo. Por exemplo, é possível perceber o individuo ocidental em sua trajetória nos últimos duzentos anos e ver que nesta trajetória houve dados comuns significativos e transformações que o singularmente ao compará-lo com o indivíduo oriental. Este conjunto característico que menciono será a base que estruturará a questão do "contar a história". A história é contada a partir do conjunto característico de cada nicho cultural. Tal afirmação abre precedente para outra discussão: como estruturar história como objeto de estudos de forma vetorial? É possível? E como compreender a relação entre história e cultura? Ao buscar a resposta para tais questões me deparo com outras tão importantes como qual é o papel da história?"