sexta-feira, 10 de julho de 2009

Marcelo Bonfá

Passei minha adolescência ouvindo Legião Urbana. Foram horas e mais horas de audição. Também busquei arranhar um violão em poucos acordes e em outras canções adicionei acordes. Por acaso conheci a banda, outro dia conto a história, mas hoje quero falar de uma agradável surpresa. Hoje encontrei um álbum do Marcelo Bonfá, integrante da Legião. Poesias musicadas. Poesias que elevam a alma distanciando-a de situações árduas e aproximando-a do céu (ou dos sonhos). Compartilho uma das letras: Todos os sonhos do mundo.


 

E alguma coisa se perdeu é que as palavras me escaparam quando mais eu precisei

E ainda não fique nada com o tempo tudo vai passar

Fora disso sei que tenho em mim todos os sonhos do mundo

Pois sempre precisei de tanto espaço pra ficar sozinho nestas noites que não passam eu quem eu sou que não sou meu coração

Enquanto as árvores dançam são suas folhas que caem

Se alguma coisa se perdeu é que as palavras me escaparam quando mais eu precisei

Certas coisas nunca serão certas e fui eu quem quis assim

Pois sempre precisei de tanto espaço pra ficar sozinho nestas noites que não passam eu quem eu sou que não sou meu coração

Enquanto as árvores dançam são sua folhas que caem

Ainda não é tarde pra dizer o que eu sinto

O tempo é só uma invenção

Às vezes eu quase consigo entender tudo assim muita coisa que eu digo é apenas para mim as coisas mais simples são mesmo difíceis de se dizer êêêêêêoooooo


 


No final de semana estarei comentando a etapa alemã da F1 em ágora esportiva.