domingo, 14 de junho de 2009

Receber em troca

Se uma mulher esconde a sua afeição com igual habilidade daquele que constitui o objeto dessa afeição, pode perder a oportunidade de conquistá-lo. E nesse caso é um mero consolo refletir que os outros permanecem na mesma ignorância. Existe tanta gratidão e vaidade em quase todas as afeições, que é perigoso abandoná-la a sua sorte – todo pode começar livremente, uma ligeira preferência é bastante natural, mas são poucos os que têm o coração bastante firme para amar sem receber alguma coisa em troca.

AUSTEN, Jane. Orgulho e preconceito. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009; pág. 29