sábado, 23 de maio de 2009

A escravidão atualmente: dois exemplos


A escravidão está no nosso presente e não apenas em nosso passado. Devemos nos lembrar que não há somente a escravidão trabalhista, mas também a sexual. Esta forma de escravidão é evidente em diversos lugares, de forma emblemática no Leste Europeu. A escravidão sexual tem como foco o recrutamento de meninas, que iludidas esperam um grande futuro como modelos e em sua maioria vem de países pobres. Quando descobrem o mar de lama que estão envolvidas, fazem parte de um sistema que em momentos não permite mais uma volta.
No Brasil a maior incidência de escravidão é no campo. Essas pessoas geralmente são de família pobre, de lugares castigados pelo clima e são convidados a trabalhar como promessas de um emprego digno, um bom local de trabalho, boa moradia... Mais quando chegam ao local, percebem que a promessa era ilusória. A pessoa que fez todo o trabalho de convencimento é chamada de 'gato'. Depois que os trabalhadores chegam ao lugar prometido, percebem que as promessas se converteram em dívidas e agora devem trabalhar para pagar tais débitos, moradia, comida, e tudo o que consomem se juntam a bola de neve que é formada. Dentro dessa fazenda há um mercadinho que é chamado de mercenária, aonde os preços chegam ao triplo do que um mercado comum cobraria. Esta prática é denominada de escravidão por dívida. Somente no ano de 2005, foram registrados cerca de 25 mil pessoas neste regime de escravidão.
Texto de Monique Louise Pfou, EEB Cel. Pedro C. Feddersen, 3° ano – Ensino Médio.