sábado, 28 de março de 2009

Somos escravos do tempo


Hoje percebi como sou escravo do tempo. Sou? Não, somos todos nós. Vinculamos diversas tarefas, compromissos, até a diversão é submissa ao tempo. E ele existe? Faço sempre esta pergunta aos meus alunos. Existe? Acho que não, como sempre digo: isso é igual a chifre, coisa que colocaram em nossa cabeça. Como descobri isso que sou escravo dele? Durante a exposição pública na igreja hoje pela manhã, dei um corte sutil numa oradora porque estava avançando no tempo e isso atrasaria toda a minha programação para este dia. E outro fato que me sucede é que ao tentar levar meu afilhado ao circo acabo condicionando a diversão duma pobre criança ao tempo. Queria falar mais, mas não tenho tempo.