terça-feira, 12 de agosto de 2008

SOBRE O TEMPO

Pensar sobre o tempo pode parecer estranho, mas há tempos que penso sobre o tempo. A passagem temporal quando não desperta uma reflexão pode ser apenas uma passagem de afazeres, de coisas que usamos para preencher os espaços marcados entre o nascimento e a morte, um acumular-se de horas. Agora, quando pensamos o tempo, estamos pensamos nas coisas que marcaram de forma intensa. Coisas que transcenderam o limite da materialidade de um relógio. Pensar o tempo não é pensar a manifestação do Espírito Absoluto de Hegel, nem o Dasein de Heidegger, mas pensar o tempo é pensar nos momentos que valeram a pena e que nos fazem ser e sentir o que somos hoje. Como diria o músico Thedy Corrêa , “o tempo passa e nem tudo fica, a obra inteira de uma vida, o que se move e o que nunca vai se mover...” O que não se move é aquilo que durou uma fração de segundos com uma intensidade que supera qualquer ponto de despedida entre dois ponteiros de um relógio.

Minha home-page está com um visual novo, confira clicando aqui.