quinta-feira, 21 de agosto de 2008

AUTO ENFRENTAMENTO

É difícil falar do que sentimos? Respondo sem pestanejar: é difícil sim, mas sentir não o é. Envergonhar-se diante dos outros também não é difícil. Por muitas vezes é preferível assumir aquilo que não sentimos e que não somos do que enfrentar meu verdadeiro eu. Enfrentar não, auto-enfrentar. É dessa forma que os pássaros vivem, num auto-enfrentamento, a luta pela vida torna-se a luta pela existência. Lançar-se da árvore em busca do alimento, para um pássaro é mais do que uma aventura, é uma conquista do auto-enfretamento, é um romper de limites que visam garantir sua existência.

Mas não quero falar de pássaros, quero falar de pessoas, quero falar de ti, de mim e de nós. Devemos ser pássaros para rumar por vôos desconhecidos e auto-enfretamentos que possam exigir mais do que julgamos suportar, porque o ser humano é forte e muitas vezes desconhece sua grande capacidade de voar...