sábado, 19 de julho de 2008

O poder em Nietzsche

Quando o anarquista, como porta-voz das camadas sociais em decadência reclama, com toda a indignação, o "direito", a "justiça", os "direitos iguais", ele se encontra sob a pressa'; de sua própria incultura que não entende por que, no fundo, sofre, em que sua vida é pobre... Há nele um instinto de causalidade que o força a raciocinar: é preciso que seja culpa de alguém se ele está tão pouco à vontade... essa grande indignação" Já lhe faz bem, é um verdadeiro prazer para um pobre-diabo poder injuriar, ele encontra nisso uma leve embriaguez de poder...

NIETZSCHE, Crepúscolo. Considerações inatuais § 34.