quinta-feira, 3 de julho de 2008

Final da Libertadores da América

Fluminense e LDU fizeram a final do torneio. Primeiro jogo 4x2 e mais o baile para os equatorianos na altitude de Quito. No Maracanã não podemos afirmar que foi um jogo digno de final. Que jogo feio, bah! Muitos chutões para cima, jogadas sem objetividade e um juiz, não vou eu também falar mal dele. Primeiro tempo: o time da LDU explorou os contra-ataques e a defesa do Flu é de dar medo. Entre bolas e bolas, duas para o tricolor penetram o gol adversário. O que faltou? Ousadia técnica. O time de Renato Gaúcho deveria ter explorado as inversões de jogadas de lateral a lateral e toque de bola mais refinado, calmo e tranqüilo. Lembrei-me várias vezes da final da UEFA Champion, mas vou deixar na lembrança, porque comparar estas duas finais é no mínimo cruel. Segundo tempo: tecnicamente um pouco melhor, o Fluminense fez um gol. Destaque para o lateral esquerdo, Júlio César que jogou muito bem. Prorrogação: os primeiros quinze minutos em uma palavra: morna. No tempo final o cansaço é algo evidente e claro, exceto Guerron. Cobranças de pênaltis: Os pênaltis retratam o que foi o jogo e toda a confiança de Renato Gaucho acaba nas mãos do goleiro e o Maracanã silencia.