quarta-feira, 30 de abril de 2008

A chuva

A natureza esconde alguns mistérios interessantes. Hoje de moto tomei uma chuva nunca vista antes por este pobre mortal que vos fala. O gotejar frio e doloroso insistia em se repetir inúmeras vezes no mesmo segundo. As gotas pareciam facas. A mesma chuva que traz vida também traz desconfiança. O negro da noite se misturava com o negro do asfalto, fazendo a visão da rodovia sumir diante de meus olhos. As poucas luzes que apareciam eram luzes contrárias a minha direção, o clarear das luzes se misturavam com as gotículas e as luzes mais escureciam do que clareavam. Houve horas que nem minha localização sabia. Quando questionei aos céus se eles estavam furiosos por despertar meu amor, a chuva parou, como se ele respondesse: vamos em frente.