sábado, 4 de novembro de 2006

O Doce Veneno do Escorpiõ

Eu nunca me imaginei lendo este livro. Às vezes o pobre preconceito fala mais alto. Sem intenção ele acabou caindo em minhas mãos e eu o devorei em uma semana. Poderia ser mais um. Confesso que ele mexeu comigo.

A vida é sempre feita de escolhas. “Para se conquistar a felicidade é preciso abrir a mão de alguma coisa”. A autora abriu a mão de muitas coisas em nome de uma busca. O livro me deixou num mix de sentimentos: angústia, dor, ódio, amor, compaixão... não quero ficar falando da autora, nem de mim. Quero falar da vida. Não pretendo transforma-la em Maria Madalena (nem a autora, nem a vida), porém muitos pássaros a serem presos, perdem a ternura e existem outros que se soltarmos do cativeiro não sabem viver em "liberdade".

Quando você deixa de sonhar, você está deixando de viver, e para viver é preciso apaixonar-se pela vida e acreditar em você mesmo.

Reflexão do livro de Bruna Surfitinha

www.albiofabian.xpg.com.br