sábado, 4 de fevereiro de 2006

Heráclito e blá, blá, blá

...não se pode entrar duas vezes num mesmo rio...

(HERÁCLITO 540 – 470 a.C.)

Blá, blá, blá, blá...

A frase de Heráclito ainda gera muitas discussões. Teorias mais diversas, idéias diferentes, opiniões, teses filosóficas.

Amigo leitor, vou comentar um “pecado filosófico capital” e me abster do contexto da história da filosofia e ver a frase como se ela estivesse em minha lápide.

Não que eu queira me comparar com Brás Cubas, mas a loucura é semelhante.

A frase talvez, queria dizer que seja impossível que um fato possa ocorrer duas vezes. Cada qual é único. Os momentos não se repetem. As pessoas não se repetem. Os fatos não se repetem. Cada segundo em nossa vida é o último, porque nunca mais vai se repetir.

A vida passa e nós aqui navegando na Internet a espera de um texto novo, de uma foto nova, daquele e-mail que diz EU TE AMO, daquele scrap no orkut falando EU TE ADORO...

Sinto-me aliviado, porque num devaneio, não se pode cometer duas vezes...