quinta-feira, 21 de junho de 2018

UM SONHO PARA ROSE 10 ANOS DEPOIS

Hoje, às 18h00, Canal Brasil exibe o "Um sonho para Rose - 10 anos depois, na reflexão que debate a Reforma Agrária no Brasil.  O logo se passa em 1996, dez anos após rodar o longa Terra para Rose (1987), a cineasta Tetê Moraes retorna ao assentamento de camponeses da fazenda Annoni, no Rio Grande do Sul, para saber o que aconteceu ao acampamento e aos trabalhadores que ali habitavam. Paralelamente, resgata a história de Rose, agricultora que se mudou para o local com o marido e os três filhos e que teve um destino trágico: foi atropelada por um caminhão durante uma manifestação em favor da reforma agrária, na rodovia BR-386 em outubro de 1987, e se tornou símbolo do movimento de luta pela terra. Usando flashbacks, a diretora resgata imagens do filme Terra para Rose (1987) e aborda o crescimento surpreendente do assentamento, revelando a forma como a região se desenvolveu. 

Operadoras DHT:
SKY
CLARO
VIVO
OI
NOSSATV
Canal Brasil
113
513
150
650
586
806
66
---

O SUFICIENTE PARA TER VANTAGEM NA ÚLTIMA RODADA


PÍLULA DO DIA SEGUINTE # 304

Espanha encaminha muito bem a classificação. Jogará na última rodada com o eliminado Marrocos. Portugal e Irã farão o jogo da classificação. Posse de bola com administração do placar o tempo inteiro, isso foi a “fúria”. Esta Espanha me lembra, no placar, aquela de 2010, uma primeira fase sem empolgação, mas suficiente para chegar as oitavas. Aí, na fase mata-mata há outra copa. Aqui, no jogo de hoje, o Irã, abdicou da vitória. Deixo a Espanha jogar e assistiu um ataque contra defesa, como uma ou outra chance quando a zaga espanhola cochilou. A Espanha com um gol no início do segundo tempo sacramentou a vitória. O Irã se organizou com seis na linha defensiva, foi irônico, não bate rebate um gol meio de Diego Costa (#19), meio do zagueiro a bola entrou, o que deveria defender, favoreceu a entrada. Nas palavras do atacante para o jornal Marca: “Tive um pouco de sorte no gol, porém, alegro-me porque foi uma partida muito disputada. Eles ficaram muito atrás. Sabíamos que seria uma partida que tinha que ter paciência”.

O que foi a cambalhota de Milad Mohammadi (#5) na cobrança final de lateral do Irã, no final do jogo? Alguém explica ou desenha, porque não fez muito sentido.

Outros jogos: Portugal 1x0 Marrocos | Uruguai 1x0 Arábia Saudita

quarta-feira, 20 de junho de 2018

LUCIANA: A JOVEM EMPREENDEDORA


Luciana começou cedo a ajudar a mãe no preparo de quentinhas, vendidas a operários da construção civil, que trabalhavam perto da casa onde moravam. Assim que voltava da escola, já começava a descascar batatas, cortar legumes, lavar (ouça, enfim, era o braço direito da mãe. D. Zefa dava duro, pois o dinheiro das vendas é que sustentava a família, Luciana e mais quatro irmãos. O cardápio era simples, mas o tempero especial da 0. Zefa atraia cada vez mais novos clientes. Chegou um do em que ela ficou muito nervosa, pois não estava conseguindo cumprir com os pedidos.

Vendo esse problema, Luciana pensou de que maneira poderia ajudar a mãe. Então teve a ideia de contratar uma ajudante para trabalhar com a mão na cozinha, já que as compras D. Zefa gostava de fazer pessoalmente para garantira qualidade dos ingredientes.

Aos poucos, a demanda foi crescendo e, mesmo com a ajudante, D. Zefa não conseguia entregar as quentinhas no horário previsto. Luciana teve outra ideia: falar com o irmão, que já fazia as entregas, para ajudar a fazer as contas, aliviando a mãe dessa função. José passou a anotar todos os pedidos, cobrar e fechar o caixa no final do dia, separando o que ganharam do que gastaram. Assim, tudo voltou a funcionar bem novamente. Mas isso seria suficiente para o negócio de D. Zefa continuar dando certo?

REFERÊNCIA
ESCARLATE,  Luiz Felipe. Empreender a apreender.  Brasília: Fundação Roberto Marinho, SEBRAE, 2010, p. 9-10.


CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE VIOLÊNCIA

Departamento de Letras e os Programas de Pós-Graduação em Letras e em Direito e Instituições do Sistema de Justiça da Universidade Federal do Maranhão, em associação com a Universidade CEUMA, convidam todos a participarem do II CIVIP - II Congresso Internacional sobre Violência, Polidez, Mediação de Conflitos e Acesso à Justiça, a ser realizado de 12 a 14 de novembro de 2018 em São Luís - Maranhão, Brasil.
O objetivo principal do congresso é reunir acadêmicos, pesquisadores, estudantes, profissionais e outros grupos interessados ​​nos temas contemplados por esta edição de 2018, para apresentação de trabalhos sobre desenvolvimentos recentes acerca da violência em suas áreas de estudo e participação nos debates sobre esse fenômeno. Além de estimular  avanço e  inovação no aprendizado e no ensino, o II CIVIP oferecerá aos participantes  oportunidade de compartilhamento de conhecimentos teóricos, resultados de pesquisas e boas práticas com seus pares, com a comunidade acadêmica e a sociedade em geral.
II CIVIP incluirá conferências, minicursos, mesas-redondas, simpósios temáticos, assim como comunicações orais individuais, minicursos e sessões de pôsteres.
Eixos temáticos ​
  1. Violência urbana
  2. Violência doméstica 
  3. Violência escolar
  4. Violência no esporte
  5. Violência e superação de traumas
  6. Violência e saúde física e mental
  7. Violência social e minorias
  8. Violência, conduta policial e segurança pública
  9. Violência, mediação de conflitos e acesso à justiça
  10. Violência, vulnerabilidade social, desigualdade social e políticas públicas
  11. Violência, poder, impunidade e direitos humanos
  12. Violência, democracia, poder público e segurança cidadã
  13. Violência, cognição, discurso e empatia
  14. Violência e (im)polidez linguística
  15. Violência na mídia e nas redes sociais 
  16. Violência prisional: condições penitenciárias e tratamento a presos
​Informações gerais
  1. As submissões de propostas (minicursos, mesas-redondas e simpósios/GTs), assim como as submissões de trabalhos (comunicações orais – em simpósios e livres – e sessões de pôsteres) serão realizadas exclusivamente pelo site www.civip2018.ufma.br;
  2. Os trabalhos podem ser encaminhados e apresentados em língua portuguesa ou inglesa;
    1. Para informações adicionais, favor contactar: civip.2018@gmail.com.

UMA MÃOZINHA QUE CUSTOU CARO


PÍLULA DO DIA SEGUINTE # 303

Japão e Colômbia foi o confronto do dia que escolhi ver. Optei por envolver um sul-americano. Esperava que a ausência de James Rodrigues (#10) não fosse tão impactante, a colocação dele no lugar de Quintero (#20) foi no mínimo questionável. Se estava machucado, porque investir nele? A ela, soma-se a expulsão de Sanchez (#6), um pênalti e um gol, não há o que discutir a três minutos de jogo, fato que desestabilizou todo o esquema tático da seleção colombiana. Na copa mais técnica da história, segundo afirmações do PVC – e concordo com ele – uma mudança logo de cara, desmonta qualquer lógica de jogo. Por mais que a Colômbia mostrou raça e tentou jogar de igual para igual não consegui. Encontra um Japão que é dedicado e disciplinado em campo, mantendo o tempo inteiro a disposição tática e que superou o anti-jogo da Colômbia, provocando as faltas, e tentando desestabilizar o equilíbrio emocional do adversário, além de um meio campo problemática, com pouca, ou quase nenhuma criatividade.   No domingo, Polônia e Colômbia farão um bom duelo de sobrevivência.

Não é só brasileiro que faz merda em terra alheia. Alguns colombianos que foram ao mundial, pós-jogo foram presos por depredação do espaço público. Muito legal o longo editorial do jornal de Bogota, El Tiempo, falando da moralidade de um povo que nos ensinou o respeito na tragédia da Chapecoense, e novamente mostra, que o futebol é um jogo e que o extracampo baderneiro são factoides de poucos idiotas.

Outros jogos: Polônia 1x2 Senegal | Rússia 3x1 Egito

terça-feira, 19 de junho de 2018

LIDERANÇA NÃO É SER CHEFE


Nos Estados Unidos, muitas vezes confundimos bons profissionais com bons líderes. Um executivo bem-sucedido não é, necessariamente, um líder de sucesso. O famoso investidor Warren Buffet comenta: “Já vi seres humanos nada edificantes terem sucesso no mundo dos negócios. Eu gostaria que fosse o contrário. ” A mídia adora idolatrar e demonizar as estrelas do mundo executivo. Glorificados em capas de revistas, eles são tratados como grandes visionários, estrategistas refinados, gurus organizacionais e gênios táticos. Estas são importantes habilidades gerenciais, mas têm pouca ou nenhuma relação com a arte de liderar e de influenciar pessoas para darem o melhor de si. Essa tendência para a exaltação da liderança só a torna mais remota e inacessível para o supervisor, treinador, pai, mãe, pastor ou professor - em suma, para quem está nas trincheiras tentando liderar seus respectivos grupos. Lembre-se de que não é preciso ter um cargo de chefia ou hierarquicamente importante para ser um líder e influenciar outras pessoas a terem mais entusiasmo, mais empenho e mais disposição - enfim, para se tornarem o melhor que podem ser.

O que define a palavra liderança é a capacidade de influenciar os outros para o bem. As equipes realmente eficazes não são comandadas por ditadores ou autocratas. Na verdade, nas comunidades que surgem naturalmente todos são líderes, assumindo, cada um, responsabilidade pessoal pelo sucesso da equipe. Todos deixam sua marca na equipe - a única questão é o tipo de marca que cada um quer deixar. Fui testemunha desse princípio há pouco tempo quando viajei pela primeira vez pela Southwest Airlines, que é, como já mencionei antes, uma empresa de liderança servidora. Sua vocação está expressa até mesmo na sigla pela qual ela é conhecida na Bolsa de valores de Nova York - LUV, cuja pronúncia se assemelha a palavra LOVE. Não por acaso, o slogan da Southwest é “A empresa aérea que o amor construiu”.

Eu estava bastante animado, pois os comissários de bordo são conhecidos por seu bom humor e eu queria verificar se eram mesmo verdadeiras as histórias de liderança servidora da Southwest. Ao lazer o check-in, fiquei um pouco surpreso porque não havia indicação da poltrona no cartão de embarque.  Um funcionário da empresa simplesmente gritou de repente: “Podem ir! ” Como eu não tinha a menor prática nesse tipo de embarque, fui empurrado, passado para trás, e acabei na última fila, na poltrona do meio. Para dizer o mínimo, não estava muito bem impressionado.

Pouco antes de a porta fechar, um garoto embarcou carregando várias caixas de chocolate. Devia haver uma ou duas poltronas ainda vazias no avião, mas o espaço para bagagem de mão já estava todo ocupado. Como sou um viajante experimentado, estava acostumado a comissárias de bordo mal-humoradas e imprestáveis, laquei esperando que o garoto fosse censurado e suas caixas devidamente enviadas para o compartimento de carga, já que não havia mais espaço ali. Mas não foi isso que aconteceu. A jovem comissária perguntou a- o garoto não gostaria de ajuda para vender seus chocolates. Os olhos do garoto se iluminaram quando ele respondeu: “Claro! ”


A comissária pegou várias caixas e levou-as para guardar na cabine dos pilotos. Eu nunca vira antes uma comissária guardar ali os pertences de um passageiro. Pouco depois, quando já voávamos em altitude de cruzeiro, a comissária anunciou, pelo sistema de som, que as barras de chocolate seriam oferecidas ao preço de dois dólares cada uma. Ela concluiu o comunicado dizendo que queria saber quem seria a primeira pessoa a não comprar, a fim de poder avisar a todos para se manterem à distância do rabugento na poltrona 10 C! Houve um coro de gargalhadas.Nem é preciso dizer que todas as barras de chocolate foram vendidas antes que o garoto chegasse ao meio do avião. A comissária teve de lidar, então, com os passageiros contrariados porque não tiveram a oportunidade de comprar um chocolate. Uma pessoa levantou e ofereceu cinco dólares pelo chocolate que havia sido vendido minutos antes por dois dólares, mas ninguém se interessou pela oferta. Falo sério, houve negociações desse tipo a 11 mil metros de altitude! Todos no avião se envolveram!

Este é um ótimo exemplo de liderança por parte da comissária. Ela tomou a iniciativa e influenciou todos os passageiros. Tenho certeza de que não sou o único naquele avião que jamais esquecerá a expressão do garoto quando ficou com as caixas vazias e um maço de dinheiro na mão.
Minhas experiências com a Southwest Airlines têm sido coerentes sob esse aspecto. Sempre que viajo pela empresa, observo líderes fazendo o que é necessário para tornar o vôo bem-sucedido, inclusive encorajando uns aos outros a trabalharem com entusiasmo e bom humor. Eles influenciam positivamente os clientes e os inspiram a serem o melhor que podem ser. Alguém pode acusar a Southwest de ser uma empresa excêntrica e anticonvencional, mas é incontestável que ela é hoje a empresa aérea mais bem-sucedida dos Estados Unidos. Num setor dominado por sindicatos fortes, ela não teve um único prejuízo nos últimos trinta anos, inclusive no período posterior a 11 de setembro de 2001, que foi um desastre para a aviação civil.

Quando uma empresa faz sucesso, todos os seus membros assumen o compromisso de liderar. Eles sabem que todos são responsáveis pelo êxito da equipe e pelos resultados extraordinários. Infelizmente, esses recursos ficam latentes na maioria das companhias. Mas liá sinais de que isso está mudando.

HUNTER, James C. Como se tornar um líder servidor. Rio de Janeiro: Sextante, 2006, pág. 20-22

SABEDORIA KANTIANA



SENSACIONAL BÉLGICA DOMINA O PANAMÁ


PÍLULA DO DIA SEGUINTE # 302

A seleção da Bélgica, uma das forças desta copa, é uma exceção entre os cabeças, ela atua com 3 zagueiros e libera os laterais para compor o meio campo, algo que era moda na primeira metade dos anos de 1990, porém, atua com um atacante isolado, o Lukaku (#9), um esquema mais ocupacional na meia da cancha. O que dificulta a formação do time adversário pelo excesso, assim impede ele de chegar próximo a grade área, e então o gol é um detalhe da sobra. Resultado até agora aprovado. Ontem, frente ao Panamá deu certo, pressão total da Bélgica. Uma seleção experiente, que volta com 15 jogadores que estiveram no Brasil-14. O Panamá cumpriu seu papel, o de estar na copa, com 48 muitos farão apenas isso. Ir lá e jogar e nada de espetáculo. A seleção não levou perigo ao gol, mas no primeiro tempo apresentou uma estrutura defensiva eficaz, mas no segundo tempo, não suportou a pressão.

Dos europeus, só a campeão Alemanha perdeu na primeira rodada.

Jogos 18.jun: Suécia 1x0 Coreia do Sul | Tunísia 1x2 Inglaterra

segunda-feira, 18 de junho de 2018

LIDERANÇA EM LOST


Texto de Tadeu Alvarenga (fragmento - adap.), texto publicado em 07.ago.2006.

A trama é muito simples: um avião cai em uma ilha deserta do Pacífico Sul, perdida no meio de lugar nenhum. De início, eles (os sobreviventes) esperam por um resgate, mas logo percebem que este nunca virá. Aos poucos, começam a constituir grupos, amizades, alianças. Existe a necessidade de se organizarem a fim de garantir a sua sobrevivência. Líderes - ou candidatos a líderes - surgem e são, de alguma forma, testados. No fim sobram dois: o médico Jack Shephard e o enigmático John Locke. Todo o eixo da primeira temporada se desenvolve ao redor destes dois. Eles representam formas diametralmente opostas de se encarar a realidade - e, também, por conseqüência, formas inteiramente distintas de se exercer a liderança. Falarei aqui do primeiro destes dois, o Dr. Jack Shepard que é o típico Líder Integrador.

Este tipo de líder possui, principalmente, duas características. Ele se caracteriza, primeiro, por um alto senso de coerência interna, ou seja, de integridade, no sentido maior desta palavra - ou, pelo menos pela busca desta coerência. Em segundo lugar, este tipo de liderança possui uma capacidade de transpor esta integração - que lhe é inerente - para o meio que o cerca. Este líder sempre busca integrar as pessoas à sua volta, em torno de um propósito comum. Quando se fala em "Liderança baseada em caráter" ou algo do tipo, fala-se principalmente deste tipo de líder - do Integrador. Também quando se fala que "primeiro deve-se buscar a autoliderança para depois se exercer a liderança junto aos outros", é quase impossível não pensar no Líder Integrador, pois é exatamente isso que ele faz: primeiro busca integrar-se, para depois integrar o grupo. Uma imagem simples, porém poderosa, deste tipo de líder é a do pastor de ovelhas, que quando um animal perde-se do rebanho, ele vai atrás para trazê-la de volta e reuni-la ao rebanho.


O nome do personagem, "Shephard", em sua origem, não significa outra coisa a não ser exatamente isso: "pastor" e, mais precisamente, "pastor de ovelhas". Em vários momentos, ao longo dos episódios, vemos pessoas que se afastam emocional ou mesmo fisicamente do convívio do grupo e que são resgatadas por Shephard - como se fora um pastor atrás de suas ovelhas. Este comportamento, inclusive, gerou, em páginas de fãs a seguinte discussão: "Por que o único médico do grupo de sobreviventes está sempre se embrenhando na floresta atrás de qualquer um que some?". A resposta já foi dada aqui: não seria possível a Shephard fazer de outra forma, pois esta é a natureza do Líder Integrador. Nisto consiste, ao mesmo tempo, a sua força e a sua fraqueza.


Na rimeira temporada vimos Locke "abdicar" do papel de líder em favor de Jack. Acredito que Locke tenha de alguma forma pressentido que o grupo necessitava daquele tipo de liderança que só o Dr. Jack seria capaz de proporcionar e, por isso, deu um passo atrás, deixando-o assumir "a condução do grupo". De fato, foi só a presença de uma Liderança Integradora que permitiu que o grupo se tornasse coeso, construísse uma rotina e superasse as adversidades do ambiente.


[...]

QUEM NÃO PASSA A COPA MOSTRA O QUÊ?


COLUNA #196

[...]

Mas volto ao foco do que vi. O SBT tem mostrado apenas informações em seus telejornais, nada de extraordinário, mesma lógica adotada pena CNN Internacional, entretendo a CNN en Español, me pareceu um pouco mais atenta aos detalhes do mundial russp. Sergio du Bocage, na TV Brasil, tem apresentado comentários bem centrados, longe de polêmicas vazias, sempre com bons convidados, para um espectador mais atendo vale a pena, na contra mão, o +90, do Esporte Interativo espalhafata qualquer reflexão. A TV Aparecida explorou bem ex-jogadores que levantaram a taça num especial de TV, recomendo. Na RedeTV! às 18h, programa diário sob comando de Sílvio Luiz e daquelas análises superficiais de frases prontas, retomando exemplos do fundo do baú como se fossem atuais. Record e o canal News destacando o que há de bom no mundial, e com a logo da concorrente, é dose, mas é lei... 

[...]





BRASIL ENTRA NA DANÇA DO COSSACO

TACO DE CHUCRUTE


PÍLULA DO DIA SEGUINTE # 300
#Copa2018

A Copa do Mundo tem aqueles jogos que ficam na história por conta de vitórias inesperadas. Camarões sobre a Argentina em 1990; Costa Rica sobre a Itália, 2014. Senegal sobre a França em 2002. A vitória do México sobre a Alemanha também pode entrar neste bolo. Não podemos afirmar que o México achou um gol, ele o fez por merecer. Jogou com uma proposta clara de contra-ataque explorando em velocidade uma defesa desarmada, mas deixava suas linhas defensivas abertas nas descidas para remontar um forte paredão frente a grande área na volta. Paredão que impedia a penetração alemã forçando o chute de fora da grande área. Um esquema ariscado, mas que trouxe um resultado inesperado. O mais gostoso do confronto foram os comentaristas profetas temendo a Alemanha já nas oitavas.

BRASIL PERDE DE 1X1 PARA SUIÇA



PÍLULA DO DIA SEGUINTE # 301
#Copa2018

A maneira da Suíça marcar é estranha. Ao mesmo tempo que os zagueiros marcam bem, oferecem espaços para ataque brasileiro preparar jogadas. A saída inteligente para esse tipo de jogo está numa inversão sempre que possível dos dois pontas, no caso William (#19) e Gabriel Jesus (#9), que estava como centro. Porém, montam uma parede melhor que a mexicana na frente da linha da grande área com os 4 defensores e mais um volante que regressa. Diante disso, Philippe Coutinho (#11) fez aquilo que a Alemanha não conseguiu fazer, achar um chute de fora da área. Entretanto fez o primeiro gol e deixou os vermelhos gostar do jogo.

Um erro de marcação deu empate. Pensando a seleção, o Marcelo (#12)  tem uma dificuldade de manter a posição. Situação que provocou substituição de Casimiro (#5) para o Fernandinho (#17). A ausência do Marcelo na posição faz com que o volante tenha que marcar a cobertura da subida então justifique o cansaço. No próximo jogo substituiria o lateral, já que a Costa Rica, faz suas principais descidas por este lado. Agora, é sensato colocar um juiz mexicano no jogo onde se alimenta um possível confronto com os mexicanos na próxima fase e rede para levantar no mínimo suspeitos? O juiz direcionou o placar. Ao contrário que li, gostei das substituições de Tite. Elas deram um volume maior de jogo na parte final

Jogos 17.jun: Costa Rica 0x1 Sérvia


domingo, 17 de junho de 2018

GUERRA E PAZ MOSTRA RÚSSIA NAPOLEÔNICA

A partir de amanhã, a TV Brasil mostrará seriado inglês, produzido pela BBC, no horário das 23h15. Em oito capítulos, a série acompanha os círculos da aristocracia russa enquanto o conflito do império com Napoleão Bonaparte se intensifica. É nesse cenário que Pierre Bezukhov (Paul Dano), filho ilegítimo de um nobre e motivo de chacota na alta-sociedade, inesperadamente se torna um dos homens mais ricos do país ao ser reconhecido pelo pai moribundo. O rapaz então se torna alvo do interesse do príncipe Vassily Kuragin (Stephen Rea), que quer casá-lo com sua filha, Hélène (Tuppence Middleton). 

CAMISA BONITA NÃO VENCE JOGO


PÍLULA DO DIA SEGUINTE #299
#Copa2018

Terceira seleção africada a estrear, terceira derrota. Primeira rodada não traz, até agora grande surpresa. Talvez Senegal, cause uma boa impressão. A Nigéria deixa espaços para o adversário construir jogadas. Fraca marcação e um lado direito que mais parece uma avenida. O time verde não apresentou pressão aos croatas e estes bem diferente daqueles que perderam para o Brasil em Liverpool, foram para cima e com jogadas sólidas e placar administrado saem da primeira rodada líderes numa chave que tem Messi.  

Resultados 16.jun: França 2x1 Austrália | Peru 0x1 Dinamarca | Argentina 1x1 Islândia | Croácia 2x0 Nigéria.

sábado, 16 de junho de 2018

ATRAVESSANDO DELEUZE



Dia 07/07, das 8h às18h, no instituto Gene, em Blumenau.

Serão 8 horas de estudo dirigido sobre os principais conceitos que “atravessam” a obra do célebre filósofo Gilles Deleuze.

Com a intenção de ampliar o acesso aos interessados, propomos um valor de contribuição mais flexível.
Contribuição sugerida: R$100
Contribuição mínima: R$60
Inscreva-se: https://goo.gl/forms/8q6lk3wFgylvndym1

Mais informações: augs.prof@gmail.com

NÃO É QUE A COPA COMEÇOU MESMO?

SEM MORDIDA DE CAVANI, FARÓ BAIXA A BOLA

PÍLULA DO DIA SEGUINTE # 296
#Copa2018

O primeiro jogo da sexta foi um jogo interessante. Penso que foi o jogo dos classificados. O Uruguai provocou a marcação do Egito na altura do meio campo, reduzindo o espaço de jogo em torno de 30 metros. Com domínio e posse de bola pela celeste, os egípcios trataram de vaiar. O ponto fraco foi a televisão, que se preocupou mais em mostrar Salah no banco que o jogo em si. Gostei da ideia dele no banco. A copa de fato, para o Egito, nos próximos dois jogos, assim o craque se garante mais longe.

Grupo A: Rússia 5x0 Arábia Saudita | Egito 0x1 Uruguai.  



DESJEJUM

PÍLULA DO DIA SEGUINTE # 297
#Copa2018

Tinha tudo para ser o jogo chato da copa, mas essas forças do nada contra zé ninguém surpreendem às vezes. Um bom jogo, com as duas seleções jogando com três atacantes, reuniu elementos suficientes para emoção. No jogo me perguntava se teríamos uma média de gols, inferior a Itália-90, mas ao final do dia, estamos com 3,25 por jogo. Jogos assim serão mais corriqueiros a partir de México-EUA-Canadá-26 quando teremos a bestialidade de 48 seleções. Ao fim do jogo, um gol além do esquema tático, numa infelicidade, gol contra e Irã vencendo após vinte anos. 


O McESPANHA LEVA FRANGO?

PÍLULA DO DIA SEGUINTE # 298
#Copa2018

Enfim, a copa começou. Um jogo aberto, ao modo NBA, vamos para o ataque para ver o que vai dar. Deu, dois gols brasileiros e um show à parte do CR7. Deixaram o Gajo pedalar e ele fez na Rússia o que Napoleão um dia sonhou: reinar. Enfim Cristiano Ronaldo apareceu numa Copa. Um jogo leve de muitas alternativas, toque rápido e preciso. Com certeza, será o jogo da primeira fase da Copa.


Grupo B: Marrocos 0x1 Irã | Portugal 3x3 Espanha.   




sexta-feira, 15 de junho de 2018

CONGRESSO NORDESTINO DE CIÊNCIAS DA RELIGIÃO E TEOLOGIA

Entre os dias 12 e 14 de setembro de 2018, a Universidade Federal de Alagoas – Ufal, sediará o IV Congresso Nordestino de Ciências da Religião e Teologia. A iniciativa nasceu do convite da comissão organizadora da última edição do evento, realizado em 2016, na UNICAP, em Recife-PE. Após o convite, o Núcleo de Estudos em Ciências da Religião – NECIR da Ufal acolheu esta tarefa por compreender a importância do debate acadêmico acerca das temáticas relacionadas às Ciências da Religião e à Teologia. O tema escolhido para a quarta edição do congresso é “Religião, Resistência e Direitos Humanos”. Este é um convite para lembrar a comunidade que a religião é o exercício da pluralidade, do respeito e da verdade, por isso cabe-nos pensar como as ideias antidemocráticas provocam um discurso de ódio, propicia a violência ao abandonar a essência do fenômeno religioso. Nestes termos, o estado democrático tem a tarefa de debater sobre multiculturalismo e interculturalíssimo religioso; lembrar que a religião é o exercício do sagrado.


O QUE É UMA AUDITORIA?


Em linhas “[...] a auditoria significa conferência, verificação, análise e avaliação e, acima de tudo, comunicação dos resultados dentro de um determinado objetivo ao qual a auditoria se propõe [...].” Diante do exposto, verifica-se que a função da auditoria não é somente a detecção de erros ou fraudes, mas sua atividade deve ser vista como de assessoramento a administração quanto ao desempenho das atribuições definidas para cada área da empresa mediante os objetivos por ela definidos (LINS, 2011, p. 5).

A auditoria pode ser interna ou externa. Para fins de atividades focaremos a auditoria intern
A auditoria interna para Almeida (2003, p. 29) “[...] é mais periódica, com maior grau de profundidade e visando também às outras áreas não relacionadas com contabilidade (sistema de controle de qualidade, administração de pessoal etc.)”. O objetivo geral da Auditoria Interna é avaliar e prestar ajuda a alta Administração e desenvolver adequadamente suas atribuições, proporcionando-lhes análises, recomendações e comentários objetivos, acerca das atividades examinadas.

No processo de auditoria verificar-se-á a existência, a suficiência e a aplicação dos controles internos, bem como contribuir para o seu aperfeiçoamento; verificar se as normas internas estão sendo seguidas; verificar a necessidade de melhoramento das normas internas vigentes; avaliar a necessidade de novas normas internas.

Referência
ARAÚJO, Inaldo da Paixão Santos. Introdução à auditoria operacional - 4. ed. - Rio de Janeiro: Editora FGV, 2008.



OSAMA NÃO EXPLODE E RÚSSIA DOMINA JOGO


PÍLULA DO DIA SEGUINTE # 295

#Copa2018
E começou a copa, mas a bola que rolou foi meia chata. Rússia estava desde outubro passado sem vencer. Arábia Saudita vinha de três derrotas seguidas. Mas entre ambos, os sauditas foram piores. O time viu o esquema de 4-5-1 apenas no papel. Um amontoado de jogadores atrás da bola dando e sobrando espaços para os russos atacarem, entretanto, passes em diagonal por vezes, foram para lateral, a Rússia terá que se esforçar mais que hoje para superar os próximos adversários. Um jogo duro de ver. O placar engana. Os russos dominaram a partida, mas nos quinze finais abriram a vantagem. Ainda suponho que russos não passarão de fase. Já os árabes, será virtuoso se marcarem.

Próximo jogo do grupo: 15.jun, 9h, Egito x Uruguai